O deputado do PSD, Bruno Vitorino, considera que os mais de 1100 milhões de euros de dívida da empresa Parque Escolar, criada pelo Governo de José Sócrates, davam para construir 100 escolas secundárias na Quinta do Conde.

No âmbito da discussão em plenário da Assembleia da República sobre a construção de uma escola secundária na freguesia da Quinta do Conde, concelho de Sesimbra, o social-democrata explicou que tendo em conta os mais de 1100 milhões de euros de dívida, e se a média de custo por cada escola fosse de 11 milhões de euros, havia dinheiro não para uma escola, nem para 10, mas sim para 100 Escolas Secundárias da Quinta do Conde.

Apesar da pesada herança do Governo socialista de José Sócrates, o Governo PSD/CDS conseguiu resolver muitas das questões pendentes que há muito se arrastavam no distrito de Setúbal, no concelho de Sesimbra, e, também na Freguesia da Quinta do Conde”, lembra Bruno Vitorino.

Como exemplos referiu o adiantado trabalho conjunto entre Governo e a autarquia sesimbrense com vista à renovação da Escola Rodrigues Soromenho, e na passagem do Santuário do Cabo Espichel para o município, bem como a construção do Centro de Saúde da Quinta do Conde, e o reforço da rede pré-escolar, estes dois já executados.

Bruno Vitorino afirma ainda que a necessidade da construção de uma escola secundária na Quinta do Conde é unânime, contudo critica as outras forças políticas por darem a entender que o Governo anterior não construiu a escola por opção.

Havia dinheiro para isso? Não, não havia. O Governo de José Sócrates delapidou o país. Deixou-nos sem dinheiro para nada. E cheios de dívidas. E dívidas a juros altos. Só na Parque Escolar foram gastos mais 2 mil milhões de euros do que o previsto e reabilitadas menos 100 escolas do que o inicialmente prometido”, sublinha.

O deputado do PSD acusa ainda o PS de ser o “grande responsável por tudo isto, vindo agora com a falta de vergonha habitual culpar os outros pela sua incapacidade”.

Partilhe esta notícia