O Museu de Arqueologia e Etnografia do Distrito de Setúbal/Associação de Municípios da Região de Setúbal promove o ciclo de conferências “Sábados no Museu…”, a primeira conferência terá lugar no dia 21 Janeiro, 16h30 no MAEDS. Contamos com a presença de todos.

 

 

“Setúbal sob jurisdição da Ordem Militar de Santiago na Idade Média: a estruturação de um núcleo portuário urbano”

 

Dra. Ana Cláudia Silveira (Doutoranda de História Medieval, FCSH)

 

Sobre:

Entre o conjunto de territórios sob jurisdição da Ordem Militar de Santiago de Espada, o estuário do Sado viria a assumir-se como um dos espaços de maior relevância, graças à sua localização estratégica e consequente importância militar e ao potencial económico propiciado pelos amplos recursos nele existentes.

A vocação portuária de Setúbal foi potenciada pelos cavaleiros espatários, que passaram a dispor de um conjunto significativo de rendas associado, quer à exploração dos recursos existentes, relacionados nomeadamente com a pesca e a exploração de sal, quer aos direitos fiscais que um porto proporcionava, a que ainda se associavam outros benefícios que a milícia poderia retirar das ligações nacionais e internacionais por ele propiciadas. O florescimento urbano ocorrido em Setúbal nos séculos XIV e XV moldou a paisagem da vila medieval, definiu orientações económicas e influiu na estruturação social e política da sua comunidade.

 

Ana Cláudia Silveira

Nasceu em Angola em 1972, licenciou-se em História na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, em 1994, sendo pós-graduada em História Medieval na mesma instituição. Encontra-se atualmente a preparar uma dissertação de doutoramento em História Medieval, desenvolvendo investigação sobre Setúbal sob orientação da Professora Doutora Amélia Aguiar Andrade.

É membro do Instituto de Estudos Medievais da Universidade Nova de Lisboa.

Tem vindo a interessar-se pela investigação de temáticas centradas na organização e desenvolvimento dos espaços litorais, na gestão territorial promovida pela Ordem Militar de Santiago nos seus domínios e na relação da instituição com outras esferas de poder.

Recebeu, em 2016, o Prémio de História Alberto Sampaio com o trabalho “Lavrar o Mar: a dinâmica da produção de sal em Setúbal no contexto dos salgados portugueses. Etapas de uma afirmação internacional”.

Entrada Livre

 

Org. MAEDS/AMRS

 

Partilhe esta notícia