A Direção Regional de Setúbal do Sindicato dos Enfermeiros Portugueses acusou, esta terça-feira, o Centro Hospitalar Barreiro Montijo (CHBM) de colocar os doentes nos corredores dos serviços de internamento, onde não há “privacidade”, “dignidade”, e não esta garantida a “segurança” dos pacientes. A Administração, em nota enviada para o Distritonline, defendeu que o SEP está a “colocar em causa a confiança da população no CHBM com o único objetivo de gerar alarmismos despropositados e desnecessários que em nada beneficiam os doentes”.

“Perante o ambiente desumano e caótico que tem vivido o Serviço de Urgência (S.U) do CHBM, em particular o S.U do Hospital do Barreiro, o C.A decidiu dissimular a situação e passou os doentes dos corredores do Serviço de Urgência para os corredores dos serviços de internamento”, refere o Sindicato, sublinhando que “esta decisão mereceu o repúdio dos profissionais que, auscultados acerca desta medida, manifestaram o seu desacordo”.

O Sindicato dos Enfermeiros Portugueses acentua que, apesar da opinião contrária dos profissionais de saúde, “o C.A procedeu à abertura de camas extra lotação (camas estas que encerrou ao longo do tempo) em detrimento do reforço das equipas e do aumento da capacidade de internamento”.

“O SEP não tem dúvidas, de que este é o produto das políticas de destruição do SNS, que têm sido levadas a cabo pelo Ministério da saúde/Governo, corroboradas por esta administração em detrimento da saúde e segurança dos doentes e dos profissionais”, finaliza a nota.

A Administração do CHBM considera que a atitude do Sindicato é “meramente populista e recorrente”, salientando que compete ao Conselho de Administração, com a salvaguarda das competências técnicas e cientificas atribuídas aos vários profissionais, “definir e implementar as medidas adequadas à máxima rentabilização dos recursos existentes em todo o Centro Hospitalar, com o envolvimento ativo de todos e com o objetivo principal de melhorar as condições do atendimento aos doentes no global, bem como as condições de trabalho dos profissionais”.

“Confirmamos a implementação de um plano de reorganização do Serviço de Urgência e gestão de camas do CHBM exatamente pela preocupação com a melhoria da resposta de forma integrada e articulada, para o doente em situação urgente ou emergente ou para o doente que necessita de internamento ou outras respostas de âmbito hospitalar”, explica a Administração, em nota, acrescentando que procederam a um “alargado processo de consulta, com envolvimento dos vários profissionais, nomeadamente Diretores de Serviço, Chefes de Equipa e Chefias de Enfermagem, com contributos extensamente avaliados que estiveram por base da construção do referido plano”.

O plano, de acordo com a Administração, “passa por linhas estratégicas nomeadamente com adequação dos recursos humanos (com reforço das equipas) e de equipamento ou físico, Formação especifica, Articulação entre Hospitais e outras entidades, e ainda por várias medidas organizativas internas com o objetivo de garantir a melhoria do atendimento dos doentes nomeadamente no que diz respeito à sua privacidade, considerando-se a indicação para em situações extraordinárias e para evitar a prologada estadias de doentes em macas nos corredores da urgência, a possibilidade de internamento em ‘camas Extra’ nos serviço, onde seguramente terão melhores garantias de privacidade e cumprimento dos procedimentos adequados”.

Partilhe esta notícia