Tendo em conta os recentes acontecimentos verificados na Escola Básica e Secundária Alfredo da Silva, a Comissão Política da Juventude Social Democratado Barreiro vem por este meio expressar a sua preocupação com a situação da comunidade estudantil em questão.

A queda da cobertura da Escola parece-nos justificação mais que suficiente para uma intervenção rápida e eficaz das entidades envolvidas, uma vez tratar-se de um potencial perigo para todos os que estudam e trabalham nesta instituição. 

Infelizmente no passado Sábado, dia 17, as condições climatéricas voltaram a causar o levantamento de uma outra cobertura das instalações, o que levou ao encerramento do estabelecimento de ensino. É do conhecimento público que a DGEstE se disponibilizou prontamente para desbloquear verbas para a obra, de modo a garantir aos alunos e pais que haveriam condições para a continuação da actividade escolar. A JSD considera agora ser responsabilidade da empresa que está neste momento a repor a cobertura o garante da segurança, uma vez que as obras já foram iniciadas.

Por outro lado, estando conscientes que não é da sua competência, questionamos também a inércia da Câmara Municipal do Barreiro que, à semelhança de outras autarquias, poderia nesta situação ter disponibilizado apoio técnico para a resolução do problema, o que também não se verificou.

Toda esta situação tem provocado uma paragem forçada do período lectivo com prejuízos visíveis para a comunidade estudantil, em especial para com os alunos que se encontram em ano de realização de Exames Nacionais. Assim, embora percebamos a decisão de encerrar o estabelecimento de ensino durante este período de incerteza, apelamos ao Conselho Geral e à Direcção que revertam a decisão de encerramento em face dos novos factos e deliberem a favor da retoma das aulas antes do término das obras, uma vez que a zona intervencionada se encontra vedada e, por isso, não representa perigo para os estudantes. Tem de caber à nova empresa assegurar as condições de segurança necessárias para que seja possível acabar com este período de inactividade e evitar a extensão dos danos já sofridos por toda a comunidade estudantil.

Embora saibamos que a reposição das aulas até agora perdidas esteja a ser projectada pelos entes envolvidos, apelamos à resolução célere de todo este processo, à retoma dos estudantes à sua normal actividade e ao bom senso de todas as partes para que nenhum estudante seja prejudicado por uma causa pela qual não é responsável.

Por fim apelamos também às restantes entidades que compõem a sociedade civil do Barreiro para porem fim à declarada tentativa de politização de um assunto que é essencialmente técnico. Parece-nos grave que a principal preocupação de determinadas entidades seja a utilização deste incidente enquanto arma de arremesso político, quando na verdade a principal preocupação de todos deviam, e têm de ser, todos os jovens barreirenses que procuram, naquela instituição, construir o seu futuro.

A JSD Barreiro está solidária com a comunidade escolar em geral e com os alunos prejudicados em particular, estando disponível para prestar qualquer apoio necessário, continuando a defender os direitos de todos os estudantes do nosso concelho. 

 

A Comissão Política da JSD Barreiro,

21 de Outubro de 2015

 

Partilhe esta notícia