A Comunidade Intermunicipal do Alentejo Litoral (CIMAL) anunciou hoje que pediu uma audiência ao ministro da Economia, António Pires de Lima, para debater “os graves constrangimentos desta sub-região no que respeita às acessibilidades”, designadamente às acessibilidades rodoferroviárias.

Num comunicado hoje divulgado, a entidade justifica ter tomado esta iniciativa depois de ter solicitado “por duas vezes” uma audiência ao secretário de estado das Infraestruturas, Transportes e Telecomunicações, Sérgio Monteiro, e decorridos vários meses “os pedidos continuarem sem resposta”.

“Apesar das diversas promessas, nomeadamente relativas à requalificação do troço do IC1 entre Alcácer do Sal e Grândola e ao reinício das obras dos troços a concluir no IP8, é visível a ausência de consequências no terreno. Estas são duas vias fundamentais para a mobilidade dentro da região, mas também de acessibilidade externa. No caso do IC1 a sinistralidade grave tem-se sucedido e a via não apresenta quaisquer condições de circulação”, sublinha a Comunidade constituída pelos autarcas de Alcácer do Sal, Grândola, Odemira, Santiago do Cacém e Sines.

Para a CIMAL, a ligação ferroviária entre Sines e Elvas é uma “infraestrutura fundamental” para o desenvolvimento do Porto de Sines e, consequentemente “dinamizadora do seu crescimento e da própria capacidade exportadora do País”.

Os autarcas pretendem nesta audiência, para além de abordar os problemas mais prementes com que a sub-região se defronta em matéria de acessibilidades, discutir a estratégia de infraestruturas e transportes para o Alentejo Litoral.

Partilhe esta notícia