Com os sucessivos assaltos a escolas (e não só) no concelho de Almada que resultam em furtos e actos de vandalismo, seguindo a opinião das forças policiais no concelho que olham para a proposta como muito bem vinda a fim de auxiliar o seu trabalho, começa-se a falar novamente na necessidade da colocação em determinados pontos estratégicos do concelho as câmeras de video-protecção que possam trazer a diminuição da criminalidade ao mesmo tempo que diminuem o sentimento de insegurança junto das pessoas.. 
Está já provado pelos vários concelhos que optaram por esta medida de protecção aos cidadãos que a medida tem sido eficaz e protege devidamente os direitos, liberdades e garantias dos cidadãos. Hoje em dia, é muito usual a utilização de câmeras de vigilância e protecção um pouco por toda a cidade, desde os supermercados, os institutos públicos, as escolas, os recintos desportivos, os centros comerciais, os parques de estacionamento, os bancos entre muitas outras entidades e instituições que têm como principal objectivo proteger pessoas e os seus bens.
Municípios como Amadora, Mafra, Leiria, Setúbal, Tomar, Portimão, Lisboa, Fátima, Coimbra, Porto, por exemplo, são cidades que já aderiram à instalação de vídeo-protecção com resultados bastante animadores em termos de redução de crimes não só contra pessoas como os roubos e os furtos, mas também, num âmbito mais alargado como é o auxilio à protecção do comércio. comerciantes e clientes, das demais empresas, dos maus tratos a pessoas e animais, da protecção aos bens e património municipal e nacional como monumentos e ainda crimes contra a própria natureza e meio o ambiente. 
A vídeo-protecção permitiria ainda identificar quem prevarica e quem não cumpre as leias, por exemplo, com os depósitos ilegais de entulho e lixo que tanto inunda o concelho de Almada e que torna o mesmo sujo e sem brio em muitos locais já identificados. 
Não queremos um meio repressivo nem intimidatório às populações, pois o mesmo deve ser visto antes em nome da sua segurança, protecção, comodidade e bem-estar onde os pais sintam os filhos mais seguros nas ruas e nas escolas, onde os comerciantes sintam-se mais à vontade protegidos dos amigos do alheio, onde as pessoas e animais tenham uma maior segurança perante quem lhes pretende fazer mal e onde o património natural e histórico seja salvaguardado e conservado. 
A Vídeo-protecção é uma das medidas que as forças polícias pugnam desde sempre para  que o concelho de Almada seja mais seguro e para facilitar a prontidão e a resolução dos problemas da criminalidade. Chama ainda a atenção as forças policiais, atenção essa da total concordância do CDS-PP, que as câmeras de vídeo protecção, devem, numa primeira instância, servir como instrumento dissuasor a quem pretenda praticar crimes sejam eles quais forem. 
Para Sara Machado Gomes, Presidente da Concelhia de Almada do CDS-PP, esta medida impõem-se muito bem na agenda de prioridades para Almada, pois, apesar de não termos,  no concelho, de momento, índices de criminalidade alarmantes, mais vale prevenir do que remediar, sendo um bom investimento, ainda por mais quando as forças policiais estão desfalcadas em termos materiais e humanos para cumprir na plenitude o seu trabalho de protecção às populações do concelho. 
Acrescenta ainda Sara Machado Gomes que o balanço desta medida é extremamente positivo noutros municípios onde a mesma já entrou em vigor, razão pela qual, olha para a proposta como uma mais-valia para Almada onde as pessoas, os comerciantes e as forças policiais agradecem. 
De relembrar que a implementação da vídeo-protecção sempre foi uma bandeira do CDS-PP em Almada tendo a mesma sido apresentada em mandatos anteriores, mas sempre chumbada por maioria. 


O CDS-PP Almada 

Partilhe esta notícia