Marta Trindade, candidata à Presidência da Câmara Municipal do Barreiro, defende que o Barreiro perdeu com o processo de desindustrialização, mas não devemos ficar fixados a esse estigma, pois é indiscutivelmente, uma cidade de talentos, e com um potencial geográfico enorme. Não obstante o esforço que se reconhece que tem sido feito pelas diversas administrações do parque empresarial da Baía do Tejo por atrair atividades que possam trazer alguma notoriedade ao Barreiro, o certo é que o nosso concelho continua a ser visto, basicamente, como local atrativo para instalar indústrias indesejadas noutras zonas geográficas e que pouco ou nenhum valor acrescentado trazem ao concelho, como são exemplo as diversas unidades de tratamento de resíduos que se instalam no concelho.

E falando de potencial geográfico, Marta Trindade não pôde deixar de sublinhar que “o Barreiro sem a sua proximidade ao rio não seria seguramente a mesma cidade”. É o Tejo que a define, e a sua importância está patente nas actividades marítimas que nele se podem desenvolver de forma regulada, como a pesca, a exploração de bivalves, o lazer e a navegação. 

Como exemplo refere, que as ostras desapareceram do estuário do Tejo na década de 70, neste momento e aproveitando a melhoria da qualidade da água, deve ser equacionada a Cultura da Ostra no Tejo, com capacidade para produção até 12 mil toneladas/ano, segundo estudos já conhecidos.

Acolhe com agrado o desenvolvimento da actividadepiscatória, que dá sustento a muitas famílias Barreirenses, e defende a continuidade do investimento da autarquia na requalificação de equipamentos de apoio à actividade.

Caso seja eleita, promete diligenciar junto do Ministério do Mar, no sentido de apurar a evolução da qualidade da água e definir os parâmetros necessários ao desenvolvimento da actividadeostreícola, de avançar com o processo de regulação da actividade da apanha de outros bivalves já existentes, de forma a assegurar a sustentabilidade das comunidades ribeirinhas, a valorização económica da actividade e a defesa da saúde pública, e impulsionar que se concretize em definitivo a construção da central de Depósito e Transformação de Bivalves do Rio Tejo, anunciada.

Fonte : Comissão Política do Chega Barreiro