Atualmente os antidepressivos são utilizados para tratar ou melhorar os pacientes afetados a nível do seu estado mental, sem os sedar.

Bioquimicamente os neurotransmissores têm um papel fundamental na explicação das causas da depressão, pois são eles os responsáveis pela condução do impulso nervoso. Já em relação às aminas: dopamina, noradrenalina e serotonina, relacionam-se com o lado químico do processo depressivo. A administração de antidepressivos, durante pelo menos duas semanas, melhora a atividade funcional dos neurotransmissores, elevando os níveis de serotonina e noradrenalina no sistema nervoso central.

Além das depressões, estes medicamentos poderão ser muito úteis no tratamento de outras patologias como a fibromialgia, a bulimia/anorexia nervosa, ajudando no controle dos transtornos compulsivos, tratamento antitabagismo, como profiláticos, algumas cefaleias, e no tratamento da enurese noturna em crianças maiores de seis anos.

Em odontologia o uso de antidepressivos pode resultar em alguns efeitos colaterais indesejados:

– a interação dos mesmos com fármacos utilizados em consultório os vasoconstritores, como a epinefrina e a norepinefrina, – podem causar aumento da pressão arterial e arritmia cardíaca bem como, hipotensão ortostática, por sua vez causadora de quedas, síncopes e acidentes vasculares.

– os efeitos adversos mais comuns na utilização de antidepressivos, são as cáries, infecções e fissuras nos cantos dos lábios, edemas faciais, disfagia, abcesso e úlcera oral.

Grupos farmacológicos a que pertencem:

Tricíclicos: é o grupo mais antigo e mais utilizado no tratamento não só da depressão e outros distúrbios afetivos, como no tratamento da dor crónica. Deste grupo fazem parte a imipramina, a amitriptilina, a clomipramina.

Os efeitos adversos mais comuns são: boca seca, prisão de ventre, rubor, taquicardia, sonolência ou agitação (no início do tratamento) e aumento do apetite com consequente ganho de peso.

Inibidores da MAO (Monoaminooxidase, enzima que degrada as aminas neurotransmissoras): supostamente, com a MAO inibida, aumenta o número de aminas e melhora o humor.

Como efeitos adversos temos: possibilidade de crises hipertensivas, agitação e confusão, interacção com outros medicamentos. Não deverão ser ingeridos alimentos que contenham tiramina (substância que é convertida a serotonina no organismo): queijos amarelos, vinho tinto, cerveja e levedura de cerveja, alimentos defumados, chocolate em grande quantidade.

Os antidepressivos Inibidores da MAO são a tranilcipromina e a moclobemida.

O Prozac® (fluoxetina),chamado também Inibidor Selectivo da Recaptação da Serotonina (IS, populariza-se por ser um antidepressivo com menos efeitos adversos.

Os Inibidores da Recaptação Selectiva têm a sua degradação inibida, ficando por mais tempo nos locais devem actuar.

A depressão tornou-se infelizmente uma doença banal, encarada de forma menos séria ao haver uma maior familiarização com os antidepressivos e uma prescrição dos mesmos menos criteriosa.

A nível odontológico, os ISRS podem levar a um aumento do tempo de sangramento, pelo que deverá o médico saber da toma de antidepressivos por parte do doente, para melhor poder avaliar os riscos e procedimentos necessários.

O sistema hepático e renal funcionam com maior lentidão em doentes que tomam este tipo de medicamentos logo, existe maior dificuldade na assimilação das drogas e a interacção com outros medicamentos que seja necessário prescrever torna-se mais significativa. Como é o caso dos analgésicos e anti-inflamatórios, que interferem com as funções do Sistema Nervoso Central e são muitas vezes recomendados pelo cirurgião-dentista.

Os ISRS podem também ser causadores de bruxismo, aumentando os níveis de serotonina e inibindo os níveis de dopamina, responsável pelo controlo dos movimentos musculares.

Dos antidepressivos mais recentes destacam-se a venlafaxina, a mirtazapina e a duloxetina, mais potente que a fluoxetina e também usada no tratamento de dor crônica neuropática e no controlo da incontinência urinária.

Existem muitos fármacos além dos referidos, mas o que interessa reter é que todos os medicamentos devem ter uso acompanhado e conhecimento pleno dos seus efeitos adversos.

O desmame de antidepressivos é um processo complexo e gradual, uma vez que uma paragem repentina causa normalmente inúmeras complicações, a nível do equilíbrio, gastrointestinal, insónia, agitação, irritabilidade, entre outros. Apenas a fluoxetina apresenta menos riscos a este nível.

É preciso ter presente que geralmente o tempo de uso destes medicamentos é bastante alargado, durará pelo menos dois anos. Portanto, é primordial haver da parte do médico-dentista um conhecimento pleno da utilização e efeitos colaterais deste tipo de medicamentos, para poder com segurança executar o seu trabalho e melhorar a qualidade de vida dos seus doentes.

Médico Dentista Nuno Alegria

Clínica Médica Dentária Nuno Alegria

Contacto: clinicanunoalegria@hotmail.com

Site: http://www.centroimplantologiaalmada.com/

Facebook: https://www.facebook.com/centroimplantologia.almada