A Pousada de Setúbal, localizada no Forte de S. Filipe, vai reabrir ao público com mais quartos e mais valências turísticas após a realização de um projeto de reformulação, investimento de um milhão de euros, apresentado esta tarde.

 

Durante a apresentação do projeto, realizada no Forte de S. Filipe, o presidente da Pestana Pousadas de Portugal, Luís Castanheira Lopes, anunciou que a requalificação do edifício “é uma remodelação no sentido de criar mais produto [turístico]. Isso incluirá, por exemplo, uma piscina”.

 

A Pousada de Setúbal está com a atividade suspensa pelo grupo Pestana por motivos de segurança, desde 2014, na sequência de pareceres do Laboratório Nacional de Engenharia Civil que indicavam problemas de instabilidade de uma parte da encosta que sustenta o Forte de S. Filipe.

 

Com o decurso dos trabalhos de reforço da encosta onde se localiza o monumento nacional, projeto conduzido sob a liderança da Câmara Municipal de Setúbal, o Pestana Hotel Group, detentor da marca Pestana Pousadas de Portugal, anunciou um projeto que vai devolver a atividade turística àquela unidade hoteleira sadina, da qual é responsável pela exploração.

O ministro da Economia, Manuel Caldeira Cabral, que assinalou em Setúbal o Dia Mundial do Turismo, sublinhou, na apresentação do projeto, tal como Luís Castanheira Lopes, o empenho, a dinâmica e o envolvimento da Câmara Municipal para que o Forte de S. Filipe volte a estar aberto, em pleno, a visitantes e a turistas que desejem usufruir dos serviços da pousada.

 

“Este é um dos bons exemplos que conciliam história, património e turismo”, salientou o ministro na iniciativa, realizada na esplanada do bar da fortificação quinhentista. “Esta vista mostra uma das mais bonitas baías do mundo e este é um projeto que acarinho e que tem muitas ligações à cidade.”

 

Na cerimónia de apresentação do projeto, que contou, também, com a presença da secretária de Estado do Turismo, Ana Mendes Godinho, o vice-presidente da autarquia, Manuel Pisco, destacou que “da Câmara Municipal podem contar para que tudo decorra da melhor maneira”.

 

A Câmara Municipal, além de liderar o projeto de sustentação da encosta, papel que competiria ao Estado, uma vez que se tratam de obras relacionadas com um monumento nacional, está a assegurar, temporariamente, a gestão do espaço de bar e de ponto de informação turística, ambos a funcionar nas instalações da Pousada de Setúbal.

 

Para que a ampliação e a reformulação da unidade hoteleira tenham início, a autarquia terá de “emitir as devidas licenças, facto que não depende só dela”, o que, quando suceder, “as obras começam, no máximo, um mês depois”, adiantou Luís Castanheira Lopes.

 

O responsável da Pestana Pousadas de Portugal acrescentou que as obras têm uma duração prevista de um ano e o investimento de um milhão de euros será repartido entre o grupo Pestana e a Enatur, empresa nacional de turismo à qual compete a execução das obras.

 

O projeto, produzido pelo atelier Contacto Atlântico Arquitetura, liderado pelo arquiteto André Caiado, mais do que duplica a atual capacidade da Pousada de Setúbal, com o total de unidades a aumentar para 35, em vez das atuais 16.

 

Esta melhoria respeita, inclusivamente, o desenho original do edifício, uma vez que, explicou André Caiado, “o projeto de remodelação pretende recuperar o volume e a cércea do edifício original do século XVIII”.

 

Esse edifício original era integralmente constituído por dois pisos, perdendo essa vertente depois de obras de requalificação realizadas no início da década de 60 e das quais resultaram na abertura da Pousada de Setúbal.

 

Com este projeto, sobe o número global de quartos, tal como também aumentam os recursos humanos associados ao funcionamento da pousada sadina, com os antigos 15 postos de trabalho a serem recuperados e a passarem, depois da reabertura da unidade hoteleira, para um total de 25.

 

Outra novidade nesta reformulação da Pousada de Setúbal é que as instalações vão passar a incluir uma piscina.

 

“Puxar por Setúbal e pela sua qualidade turística é o mesmo que puxar por Portugal. Este é um bom exemplo da qualidade turística no nosso país”, salientou o vice-presidente da Câmara Municipal, Manuel Pisco.

 

Fonte: CMSetúbal

Partilhe esta notícia