A Assembleia Municipal de Almada viu na sua ultima sessão a Recomendação do CDS-PP apresentada pelo deputado António Pedro Maco, para a implementação de vídeo-protecção no concelho de Almada, chumbada com os votos Contra do Partido Comunista (CDU) e do Bloco de Esquerda.

VOTOS CONTRA: PARTIDO COMUNISTA (CDU), BLOCO DE ESQUERDAe DEPUTADO INDEPENDENTE
ABSTENÇÃO: PARTIDO SOCIALISTA E PAN
VOTOS A FAVOR: CDS-PP e PSD
RESULTADO FINAL: REJEITADA

A Recomendação tinha como propósito dar-se início a um conjunto de procedimentos entre as várias entidades responsáveis com destaque para a Câmara Municipal de Almada, as forças policiais no concelho e a Comissão Nacional de Protecção de Dados (CNPD), para que fosse implementada a vídeo-protecção em locais estratégicos e devidamente assinalados, permitindo com isso, a diminuição dos focos de criminalidade, trazer mais segurança e protecção às pessoas e seus bens, aos animais e natureza como ao património histórico-cultural, tal como já existe e funciona com resultados muito positivos em muitos concelhos do país.

Sara Machado Gomes, Presidente do CDS-PP Almada, reforça que esta é uma proposta já antiga do partido no concelho (proposta que fazia parte do Programa Eleitoral do CDS-PP nas eleições autárquicas de 2017) e acrescenta que se perdeu uma excelente oportunidade de termos uma Almada ser mais segura, uma vez que permitia em simultâneo auxiliar e facilitar o trabalho das forças policiais na protecção dos cidadãos.

Já António Pedro Maco, autor da proposta em assembleia municipal, afirma que apesar da assembleia ter chumbado a proposta, em nada obriga que a câmara municipal não aplique a medida em conjunto com a PSP e a GNR para garantir mais protecção ás pessoas, aos seus bens, ao comércio local, ao património histórico e cultural e aos animais e ambiente natural. “Por norma, o CDS-PP entende que as deliberações dos órgãos deliberativos como é o caso da Assembleia Municipal de Almada, devem ser respeitados. Contudo, pode haver excepções sempre que assim se justifique por razão acrescida de uma circunstancia especifica, considerando que está em causa a segurança e a protecção das pessoas, justifica-se plenamente um outro entendimento por parte da câmara”, concluiu o deputado do CDS-PP em Almada. 

O CDS-PP Almada 

O CDS-PP apresentará para breve um Comunicado sobre o respectivo assunto.

Partilhe esta notícia