Nos últimos dias foram publicadas diversas notícias na comunicação social sobre o desaparecimento de vários equipamentos na Unidade de Técnicas Endoscópicas do Centro Hospitalar Barreiro Montijo. Na maior parte das peças a informação foi tratada de forma correta, exceto o que aconteceu no programa “Queridas Manhãs” da SIC, transmitido ontem, dia 17 de Novembro.

Consideramos lamentáveis os comentários proferidos por Hernâni Carvalho e Pedro Proença na rúbrica “Atualidade criminal” do programa “Queridas Manhãs”: De facto:

  1. Não compreendemos a insinuação de conivência do Centro Hospitalar Barreiro Montijo com os roubos, ao afirmar-se que “ninguém viu nada” e que “as seguradoras vão ver se é mesmo um assalto”;

  1. Os equipamentos que desapareceram não pesam17 quilos cada, peso que os tornaria não manuseáveis para a finalidade para que foram concebidos;

  1. No dia 25 de outubro de 2015 não foipublicada nenhuma portaria pelo Ministro da Saúde a atribuir uma verba de 2 milhões e 300 mil euros ao Centro Hospitalar Barreiro Montijo para reforço da vigilância. Aliás, 25 de outubro foi domingo e não são publicadas portarias ao fim de semana. Agradecemos desde já ao Sr. Pedro Proença que nos indique qual é a legislação porque esse montante será sempre muito bem-vindo;

  1. Entre as 00h00 e as 7h00 apenas a porta da Urgência Geral do Hospital de Nossa Senhora do Rosário – Barreiro se encontra aberta, razão pela qual existe apenas um elemento de segurança durante esse período, encontrando-se neste serviço;

  1. Uma vez que o Sr. Hernâni Carvalho considera ser tão simples resolver esta situação, esperamos que desde já manifeste essa sua disponibilidade e contributo à PSP, o que antecipadamente agradecemos;

Não podemos deixar de lamentar as mentiras e imprecisões divulgadas, uma vez que induzem os cidadãos em erro sobre a situação, levantando suspeitas não compreensíveis sobre o comportamento de uma instituição pública e criando um alarmismo despropositado.

A PSP desenvolveu o seu trabalho e continua a averiguar o sucedido.

Neste momento a nossa prioridade é assegurar que a Unidade de Técnicas Endoscópicas retome a sua atividade com a maior brevidade possível e garantir que sejam encontradas alternativas para os casos urgentes/emergentes, preferencialmente noutras entidades do Serviço Nacional de Saúde.

O Conselho de Administração do Centro Hospitalar Barreiro Montijo

Partilhe esta notícia