A evolução do concelho de Setúbal nos últimos anos, com obras estruturantes que se traduziram em melhor qualidade de vida, aliadas a novas dinâmicas económicas, impulsionadas por políticas expansivas de investimento municipal, foi destacada ontem, Dia de Bocage e da Cidade.

“Celebramos os feitos coletivos e a renovação acelerada da cidade e do concelho que, nos últimos anos, deu nova luz e brilho a esta terra”, sublinhou a presidente da Câmara Municipal de Setúbal, Maria das Dores Meira, na sessão solene evocativa do feriado municipal, realizada ontem à tarde, defronte dos Paços do Concelho.

A autarca, confrontando opiniões baseadas “em análises parcelares” que destorcem a verdade e que apontam Setúbal como uma das regiões mais pobres de Portugal, apresentou um conjunto de argumentos que demonstram uma conjuntura drasticamente diferente. “A dinâmica económica, induzida expressivamente por políticas expansivas de investimento municipal, não só recuperou [o concelho] da crise que se acentuou, a partir de 2011, com a intervenção da troika, como conseguiu reduzir, em números consideráveis, o desemprego, colocando-o num patamar inédito nos últimos 15 anos”.

Maria das Dores Meira sublinhou que Setúbal é “uma região que acolhe algumas das mais importantes empresas do país e que mais contribui para o Produto Interno Bruto, da redução permanente do desemprego que fez com que o concelho tivesse registado, em junho de 2019, o menor número de desempregados inscritos no Instituto de Emprego de Setúbal desde 2004.”

Um resultado que, frisou, se deve igualmente “à dinâmica económica gerada por muitos empresários, e não só, que, bastante motivados pela força das intervenções municipais, acreditaram que Setúbal podia ser muito mais do que aquele diamante em bruto que todos admirávamos e desejávamos lapidar”.

A evolução positiva destacada por Maria das Dores Meira materializa-se em diferentes dimensões, seja da regeneração urbana, à segurança, como do ambiente aos transportes, mas também em setores como a cultura, o desporto e, em particular, o turismo, que tem registado um crescimento exponencial.

Este desenvolvimento, enumerou a autarca, traduz-se de diferentes formas, tais como novas infraestruturas rodoviárias, muitas delas já operacionais, e projetos prontos para arrancar a muito breve prazo, de que é exemplo “o terminal intermodal da Praça do Brasil”, a que se junta a “forte aposta na valorização das infraestruturas turísticas e das praias”.

Esta aposta turística, “absolutamente ganha“, frisou a autarca, teve como aliado o programa Arrábida sem Carros que, entre outros, implementou um novo esquema de acessos que valoriza o transporte público e reduz a utilização do transporte particular numa zona protegida particularmente sensível.

“Ganha o meio ambiente, ganham os utentes das praias e, acima de tudo, ganha a segurança de todos os que vão a banhos em Setúbal, agora a preços muito mais reduzidos se forem de autocarro, graças à criação do Passe Navegante, medida assumida, idealizada e financiada pelos municípios da Área Metropolitana de Lisboa.”

Nesta matéria, Maria das Dores Meira frisou a “mudança histórica de valorização do transporte público de passageiros na AML”, para a qual o município de Setúbal investe, anualmente, dois milhões e 61 mil euros, e que, em breve, recebe um “concurso para a nova concessão que trará mais oferta, melhor rede e mais qualidade”.

Já “a grande e histórica obra das bacias de retenção da Várzea, iniciativa municipal financiada por fundos comunitários, além de resolver o velho e grave problema da cidade em matéria de cheias, aposta no respeito ambiental de uma zona urbana com funções ecológicas e que será ainda mais valorizada com a futura construção do Parque Urbano da Várzea”.

Esta ação é acompanhada “pela plantação de milhares de árvores e arbustos, prática que, de resto, se estende a todo o concelho e até com programas de participação das populações na plantação de novas árvores nas suas zonas de residência, a par da manutenção cuidada da estrutura verde do concelho”.

A presidente da Câmara Municipal de Setúbal alertou, contudo, para a necessidade de revisão da classificação da península no que respeita à Nomenclatura das Unidades Territoriais para Fins Estatísticos, “de forma a que se promova uma distribuição dos fundos comunitários de acordo com as reais necessidades da região e do país”.

Nesta matéria, realçou, “Setúbal é, no contexto dos 18 municípios da Área Metropolitana de Lisboa, um dos concelhos com maior taxa de execução” de fundos comunitários, em particular em ações de regeneração urbana, no qual Setúbal surge como o “quarto município com mais fundos já aplicados”.

A sessão solene do Dia de Bocage e da Cidade contou com uma homenagem aos trabalhadores aposentados da Câmara Municipal de Setúbal, aos quais Maria das Dores Meira endereçou um agradecimento especial “pelo empenho que colocaram no serviço que prestaram à população setubalense e à autarquia”.

Durante a cerimónia do feriado municipal de 15 de Setembro, como é tradição, a Câmara Municipal de Setúbal a agraciou com medalhas honoríficas personalidades e entidades que se destacam ou destacaram de forma particularmente notória e nas mais diversas áreas da sociedade, tendo sido atribuídas, este ano, quarenta e duas distinções.

“Uma homenagem àqueles que mais se destacam naquilo que fizeram e fazem pelos outros e pela sua terra. Não precisam de ter aqui nascido. Precisam, acima de tudo, de saber o que é ser setubalense e de saber partilhar este viver sadino feito de trabalho, solidariedade e amizade”, frisou a autarca.

José Afonso, que teria completado 90 anos no passado dia 2 de agosto, foi agraciado com a Medalha de Ouro da Cidade e com o estatuto de Cidadão Honorário de Setúbal, um reconhecimento pela importância do cantautor “na edificação de um Portugal livre e democrático”.

Já o Hospital de São Bernardo, a comemorar 60 anos de existência, recebeu a Medalha de Prata, distinção recebida pelo presidente do Conselho de Administração do Centro Hospitalar de Setúbal, Manuel Santos, que destacou “a suprema honra que fica registada na memória de todos os que construíram o hospital”.

Na classe Atividades Culturais, o município distinguiu o historiador Albérico Afonso. O homenageado destacou “a gratidão pelo reconhecimento do trabalho como professor e investigador” e acrescentou que a medalha é “também um incentivo para continuar a fazer mais e melhor”.

O artista plástico Andreas Stöcklein, autor, entre outros projetos de arte pública em Setúbal, dos painéis de azulejos que cobrem as paredes do túnel do Quebedo, também foi agraciado. A viver na cidade do Sado há 35 anos, afirmou que foi com “grande surpresa” que recebeu a medalha, para depois revelar que “chegar a Setúbal é chegar a casa.”

A cantora e acordeonista Celina de Piedade foi outra das homenageadas no quadrante cultural. “Sou uma filha da cidade que me criou e me educou.”

Igualmente na classe Atividades Culturais, foram agraciados o artista plástico José Matos Cardoso, a professora e diretora do Coral Infantil de Setúbal, Isabel Mendes, o escultor João Duarte, o ator e encenador José Maria Dias, a professora e proprietária da galeria de arte Casa da Avenida, Maria João Frade, e, a título póstumo, o fundador doNúcleo de Poesia de Setúbal, Henrique Mateus.

A Escola Secundária du Bocage, o diretor do Serviço de Pediatria Médica e do Departamento da Mulher e da Criança do Hospital de São Bernardo, Luís Caturra, e os médicos Ricardo de Almeida Santos, Gil Sousa, Manuel Faia e Luís Soares foram distinguidos na classe Ciência e Tecnologia.

O oftalmologista David Martins recebeu igualmente uma medalha honorífica, classe Ciência e Tecnologia, a mesma que Quitéria Rato foi agraciada. “É uma grande honra de receber a medalha honorífica” e, frisou a cardiologista, alertando, igualmente, para a “necessidade de continuar a defender o Sistema Nacional de Saúde”.

Nesta classe foram ainda agraciados os biólogos José da Costa Pereira, do projeto de preservação de cavalos-marinhos SeaHorse Hatchery, e Raquel Gaspar, da Ocean Alive e impulsionadora do projeto de proteção das pradarias marinhas “Guardiãs do Mar”.

Na classe Comércio, os homenageados foram o decorador João Maria, o empresário de restauração Otávio Teixeira e o gestor Luís Fernandes. “É uma honra receber um prémio por alguém que tem feito um trabalho melhor do que o meu”, salientou Luís Fernandes, elogiando, diretamente, o trabalho desenvolvido pela presidente da Câmara Municipal de Setúbal, Maria das Dores Meira.

Na classe Desporto, foram distinguidos com a Medalha de Honra da Cidade em 2019 os treinadores de futebol do Sport Lisboa e Benfica Bruno Lage e Alexandre Raminhas da Silva.

“É o reconhecimento do trabalho. Fico grato por a minha cidade se lembrar de mim, de perceber que sou um homem de Setúbal. Quero dedicar esta medalha ao meu pai, Fernando Nascimento”, afirmou Bruno Lage, ao revelar que antes de ser treinador de futebol o primeiro grande sonho foi “ser professor de educação física”.

Já Alexandre Raminhas da Silva dedicou o prémio aos treinadores de futebol do Núcleo de Setúbal da Associação Nacional de Treinadores de Futebol, do qual é também vice-presidente.

A Associação de Ténis de Mesa de Setúbal, a comemorar 75 anos em 2019, o Centro Ciclista Azeitonense, que assinala 25 anos, os dirigentes associativos Estêvão Monteiro Coutinho, Henrique Santos, Joaquim José Cambolas Marques dos Santos e João Botelho e o professor Nuno Miguel Cremon de Lemos foram, igualmente, agraciados na classe Desporto.

Na classe Associativismo e Sindicalismo foram distinguidos a Associação de Solidariedade Social de Gâmbia-Pontes-Alto da Guerra, o fundador do Externato Rumo ao Sucesso, Diamantino dos Ramos Afonso, os dirigentes associativos Nuno Guerreiro Soares, Sertório Herrera e José Colaço da Silva, o antigo dirigente sindical e associativo Possidónio Chitas e a UNISETI – Universidade Sénior de Setúbal.

Já na classe Paz e Liberdade foi distinguido, a título póstumo, o antigo vereador da Câmara Municipal de Setúbal, eleito pela CDU, Ruben de Carvalho, igualmente dirigente histórico do PCP, organizador da Festa do Avante desde a primeira edição e jornalista.

A medalha honorífica foi entregue à viúva, Madalena Santos, que evocou, na cerimónia, ideais de luta que pautaram o trajeto de vida de Ruben de Carvalho. “Organizem-se e lutem por uma vida melhor”, recordou no momento do agraciamento.

Na classe Turismo, foi distinguido Duarte Machado, também antigo vereador da autarquia sadina, eleito pelo PSD. “Um vereador da oposição não deve fazer apenas oposição. Deve trabalhar para a cidade. Por isso, muitas vezes fui incompreendido”, destacou.

Cidade festeja Comemorações Bocagianas

Antes da sessão solene do 15 de Setembro, o programa comemorativo do Dia de Bocage e da Cidade incluiu um conjunto de iniciativas para a população, com destaque para a inauguração de um conjunto de estruturas urbanas que perpetuam a memória e a obra do antigo fotógrafo setubalense Américo Ribeiro.

As cinco estruturas instaladas em diferentes espaços públicos da cidade, partilham, com descrições breves em português e em inglês, imagens antigas que revelam como eram, noutros períodos da história da cidade, os locais onde estão expostas, estabelecendo como que uma ponte temporal entre a Setúbal de ontem e a de hoje.

Maria das Dores Meira, destacou que as estruturas “estão instaladas em sítios emblemáticos da cidade”, como é o caso da localizada na Praça de Bocage, suporte que revela duas imagens da principal praça setubalense, em 1951 e em 1952.

“Simboliza uma comparação entre o ontem e o hoje, as alterações ao longo do tempo”, explicou a autarca sobre a iniciativa, que nasceu de um desafio lançado à autarquia por um cidadão, para depois adiantar que a Praça de Bocage “vai, em breve, também beneficiar de mais alterações”.

O conjunto de estruturas dedicadas ao trabalho de Américo Ribeiro está presente, também, perto da glorieta a Luísa Todi localizada na avenida homónima, no Miradouro de São Sebastião, na zona das Fontainhas próximo da Rotunda das Sardinhas e na Praça Vitória Futebol Clube.

Da parte da manhã, as comemorações do Dia de Bocage e da Cidade tiveram início com a tradicional cerimónia do hastear da bandeira no edifício dos Paços do Concelho, acompanhada pela interpretação do Hino do Município pela cantora Susana Martins e pelo Coro do Município Afina Setúbal.

Seguiu-se uma homenagem a José Afonso, posteriormente distinguido, na sessão solene das comemorações, com o título de Cidadão Honorário de Setúbal e a Medalha de Ouro da Cidade. Durante a homenagem, o Coral Infantil de Setúbal interpretou as músicas “Canção de Embalar” e “Os Índios da Meia Praia”.

As comemorações do Dia da Cidade prosseguiram com a deposição de flores na estátua de Bocage pela Câmara Municipal, juntas de freguesia e outras entidades e associações do concelho e uma dramatização de alguns poemas do poeta sadino pela Associação Cultural TOMA – Teatro Oficina Multi Artes.

Outro momento especial foi a presença na frente ribeirinha do NRP Setúbal, navio da Marinha Portuguesa que atracou no cais 2 do porto setubalense e promoveu, ao longo do dia, visitas abertas à população.

Maria das Dores Meira foi recebida a bordo, ao final da manhã, pelo comandante naval da Marinha Portuguesa, o vice-almirante Gouveia e Melo, e pelo comandante do NRP Setúbal, Rui Zambujo Madeira.

“É muito justo estarem aqui neste dia especial para a cidade. Ter uma embarcação tão importante para a Marinha com o nome de Setúbal enche-nos de orgulho”, sublinhou a autarca

A presidente da Câmara Municipal ofereceu à Marinha uma fotografia de Américo Ribeiro que retrata o início das obras de construção do porto de Setúbal, a qual, garante o comandante do NRP Setúbal, “será colocada num lugar muito especial do navio”.

O navio de patrulha oceânico Setúbal, a última embarcação a ser produzida nos antigos Estaleiros Navais de Viana do Castelo, saiu para o mar em dezembro do ano passado e foi inaugurado a 6 de fevereiro nos estaleiros da WestSea, em Viana do Castelo.

É a primeira vez que o navio atraca em Setúbal, “numa feliz coincidência com o Dia da Cidade, uma vez se aproveitou a saída para uma missão de três meses na zona marítima dos Açores para uma breve passagem pelo rio Sado”, explicou o comandante Rui Zambujo Madeira.

O Executivo municipal esteve, igualmente na parte da manhã, no Parque Municipal de Poçoilos, para uma visita às instalações operacionais da autarquia numa iniciativa aberta a toda a população e que contou com a participação de mais de uma centena de pessoas.

De portas abertas estiveram também o edifício dos Paços do Concelho e a Casa Bocage, que incluiu visitas guiadas à exposição permanente que percorre a cronologia da vida e obra bocagiana, começando na própria família do poeta e terminando na forma como foi interpretado após a morte em 1805.

O espetáculo musical “Celina da Piedade e as Vozes do Cante convidam Vitorino”, na Praça de Bocage, marcou o encerramento da programação de dia 15 das Comemorações Bocagianas.

O Dia de Bocage e da Cidade reservou, ainda, a Mostra de Saberes e Sabores, no passeio junto da entrada da Casa da Baía, que destacou produtos regionais de Setúbal e incluiu trabalhos de artesanato ao vivo.

As Comemorações Bocagianas incluíram, no sábado de manhã, a já tradicional Regata de Banheiras e Insólitos, prova fluvial com embarcações feitas com materiais reciclados, que proporcionou momentos de boa disposição no Parque Urbano da Albarquel.

Da parte da tarde, o Salão Nobre dos Paços do Concelho acolheu o lançamento dos três últimos volumes da obra completa de Bocage, do Centro de Estudos Bocageanos, e, na Galeria Municipal do 11, foi inaugurada a exposição “Calafates & outras profissões ligadas à atividade marítima”, patente até 23 de novembro no âmbito das Comemorações do Bicentenário do Nascimento de António Maria Eusébio.

Um encontro de bandas filarmónicas animou o coreto da Avenida Luísa Todi ao final da tarde de sábado, com a participação de conjuntos das sociedades filarmónicas União Arrentelense e Perpétua Azeitonense.

A véspera de feriado municipal ficou ainda marcada por momentos de teatro, música, cinema e dança, proporcionados pela Noite Bocagiana nas ruas da Baixa comercial, com a Associação Cultural TOMA e a FunParra a realizarem um itinerário de animação de rua pela Baixa comercial, Marcone Cruz e Marquinhos Fari a proporcionarem um espetáculo de danças tradicionais brasileiras no Largo da Misericórdia e o Trio Alcatifa a levar música ao Largo da Ribeira Velha.

Já o cinema esteve em destaque no Miradouro de São Sebastião com a exibição de curtas-metragens do Best of Vila do Conde.

Em paralelo, na Praça de Bocage, realizou-se o concerto de encerramento, do ciclo de espetáculos Fado em Setúbal.

Partilhe esta notícia