O vereador Bruno Vitorino lembra que a proposta por si apresentada e negociada com a maioria do executivo, vai permitir que as famílias com filhos comecem a pagar menos IMI já este ano.

Os efeitos práticos da redução da taxa de Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI) para famílias com filhos e outros dependentes, já podem ser observados e contabilizados. Assim, as famílias com um filho vão ter uma redução de 20 euros, com dois filhos uma redução de 40 euros e com três ou mais filhos uma redução de 70 euros.

Em 2015, o então governo PSD quis dar uma oportunidade a que as autarquias aliviassem a carga fiscal sobre as famílias, numa medida englobada num conjunto de propostas a incentivar a natalidade. A concretização desta medida ficaria a cargo das Câmaras Municipais.

Desde essa data que Bruno Vitorino tem defendido a sua implementação no concelho do Barreiro, o que até nunca tinha sido aceite quer pela CDU, quer pelo PS, até ao ano passado.

“Sempre me bati pela redução do IMI no concelho do Barreiro. As famílias barreirenses sempre viram este imposto ser taxado no máximo. Contudo, nos últimos anos, por pressão minha, o IMI baixou de 0,40% para 0,38%. Ainda está aquém do que pretende, que são os 0,35%, no entanto, já é uma ajuda”, sublinha.

Se consideramos só o IMI familiar pode não parecer muito, mas se juntarmos com a redução do IMI nos últimos anos, já vai ser uma ajuda substancial para as famílias.

No entanto, Bruno Vitorino defende ainda mais apoios para as famílias nesta matéria, para fazer face às dificuldades que muitas delas enfrentam, devido a uma perda de rendimentos por despedimento ou por lay-off.

“Vou voltar a propor em sessão de Câmara que se estude a possibilidade de redução do IMI a pagar este ano, relativamente ao ano anterior, caso venha a existir algum enquadramento legal que o permita, bem como avaliar a devolução de um trimestre ou um semestre de IMI, sob a forma de cheque compras no comércio local, para pessoas em situação de desemprego”, explica.

Bruno Vitorino considera que a autarquia deve implementar “medidas excecionais, para uma altura excecional”, apoiando o mais possível as famílias barreirenses.