A proposta de adenda ao Acordo Estratégico de Colaboração entre o Estado Português e o Município do Seixal para a construção do Novo Hospital Localizado no Seixal, apresentada agora pelo Governo do Partido Socialista, prevê a exclusão do município de Sesimbra da área de influência desta unidade hospitalar, para além de eliminar 10 das 23 valências que estavam previstas para o novo hospital no Acordo assinado em 2009.

Esta intenção merece por parte do PCP o maior repúdio, tratando-se de um concelho com populações bastante afectadas pelo desinvestimento no Serviço Nacional de Saúde, existindo lacunas graves em todo o concelho no que toca ao direito à prestação de cuidados de saúde. Relembramos a falta de médicos e enfermeiros de família para dezenas de milhares de habitantes do concelho, os horários dos Centros de Saúde claramente insuficientes e a necessidade urgente da construção do novo Centro de Saúde da Quinta do Conde.

Por exemplo, entre as 20h00 e as 8h00 não se encontra qualquer serviço de saúde disponível na freguesia da Quinta do Conde, onde residem mais de 30 mil habitantes, que, a confirmar-se esta intenção do Governo, terão de continuar a deslocar-se ao Hospital de Setúbal, por si só já sobrelotado, sendo que o novo Hospital no Seixal ficará bastante mais próximo.

A Câmara Municipal de Sesimbra demonstrou já o seu firme desacordo com esta proposta, bem como a Câmara Municipal do Seixal, tendo pedido de urgência uma reunião com o Ministro da Saúde. Mediante a resposta do Ministério da Saúde estudar-se-ão as melhores formas de continuar a insistir, se necessário, até que esta situação se resolva.

A Assembleia Municipal de Sesimbra prevê também, já para a próxima reunião, a aprovação e envio ao Governo de uma tomada de posição que reivindique a inclusão do concelho de Sesimbra na área de influência do novo Hospital no Seixal.

O Executivo da Comissão Concelhia de Sesimbra do PCP exorta todos os habitantes do concelho de Sesimbra a juntarem-se a quaisquer acções que se venham a desenvolver com vista à exigência da inclusão do concelho de Sesimbra na área de influência do novo Hospital no Seixal e da não eliminação das 10 valências anteriormente previstas.

As populações do concelho de Sesimbra podem esperar do PCP a continuação de uma intervenção empenhada, dentro e fora das instituições, até que esta situação seja revertida.

O Executivo da Comissão Concelhia de Sesimbra do PCP

Partilhe esta notícia