O filme “Os Maias – Cenas da vida romântica”, do realizador João Botelho, está em digressão pelo país e vai passar no próximo dia 5 de dezembro, sexta-feira, pelo Barreiro. O filme será exibido no Auditório Augusto Cabrita, às 21h30. 

A adaptação do romance de Eça de Queiroz estreou nos cinemas em setembro e, de acordo com o Instituto do Cinema e Audiovisual, é já o filme português mais visto este ano em Portugal, com mais de 100 mil espetadores, no circuito comercial. 

O filme teve um orçamento de 1,5 milhões de euros e do elenco fazem parte cerca de 50 atores, entre os quais João Perry (Afonso da Maia), Graciano Dias (Carlos da Maia), a atriz brasileira Maria Flor (Maria Eduarda), Pedro Inês (João da Ega), Pedro Lacerda (Thomaz d’Alencar), Adriano Luz (Conde de Gouvarinho), Ana Moreira (Maria Eduarda Runa), Rui Morrison (Vilaça), Rita Blanco (D. Maria da Cunha) ou Catarina Wallenstein (Maria Monforte). A voz narrada de Eça de Queirós é a do barítono Jorge Vaz de Carvalho. 

Para João Botelho, o romance queirosiano, que narra a vida de três gerações de uma família da burguesia no século XIX, assenta “como uma luva” no Portugal contemporâneo. 

Recorde-se que, esta é a primeira adaptação cinematográfica da obra de Eça de Queiroz, considerada uma das mais importantes da literatura portuguesa. 

A entrada tem o custo de cinco euros.

 

Consulte as restantes propostas que fazem parte da agenda de dezembro do Auditório Municipal Augusto Cabrita :

12 dezembro| sexta-feira | 21h30

Rita Guerra – Uma noite no Barreiro| | Música

Auditório Municipal Augusto Cabrita

 

Uma das cantoras portuguesas mais populares volta a surpreender com este novo espetáculo. Apresentando agora uma nova formação acústica, acompanhada de músicos de eleição e com base no sucesso do seu último disco “VOLTA”, revisitam alguns dos grandes temas da sua carreira, num renovado e inédito espetáculo intimista. Neste espetáculo, justamente intitulado Uma noite no Barreiro, para além dos maiores êxitos de 30 anos de carreira da cantora e agora compositora, teremos a possibilidade de ouvir as histórias e as canções que sempre a acompanharam nesta carreira feita de tantos êxitos e que celebra um renovado regresso ao grande público.

Faixa Etária – M/6 anos

Duração – 75min aproximadamente

Ingressos – 12,50€

 

14 dezembro| domingo | 15h00

Sou Criança e ADORO – Professores [Vera Silva] | “A Escola Vai ao AMAC” – Workshop de Desenvolvimento Pessoal Para Professores

Auditório Municipal Augusto Cabrita

Duração – 3h00

Ingressos – 15,00€

Inscrições – 21 214 74 10

 

20 dezembro | sábado | 16h00

Ateliê para pais e filhos [Danuta] | AMAC Júnior – Artes Plásticas

Auditório Municipal Augusto Cabrita

Faixa Etária – 4 aos 8 anos

Duração –  2h aproximadamente

Ingresso – 2,00€

 

20 dezembro| sábado | 21h30

Show Anual Russkii Klub | Dança

Auditório Municipal Augusto Cabrita

 

Como reconhecimento de que a experiência da Dança começa nas aulas mas culmina em palco com a sua performance, o Show Anual do Russkii Klub traz mais uma vez à cena um verdadeiro showcase de dança que conta com as atuações de dezenas de bailarinos sob a orientação de Marina Popova. O Show Anual do Russkii Klub é um espetáculo de dança acessível a todos os públicos. Em oposição ao estigma de que a cultura pop atual não será arte, Marina Popova cruza esta cultura popular com o rigor formal da técnica do movimento, e transforma as suas coreografias em verdadeiro entretenimento. Marcando o fim de mais uma temporada para bailarinos dos mais variados níveis, quer artística quer competitivamente, Marina Popova reserva ainda neste show uma pequena surpresa, e apresenta uma “featurette” com a estreia absoluta de uma dezena de coreografias.

Faixa Etária – M/ 6 anos

Duração – 70min com intervalo

Ingressos – 5,00€

 

21 janeiro | domingo | 16h00

Filminhos. À Solta pelo País [Zero em Comportamento] | AMAC júnior – cinema

Auditório Municipal Augusto Cabrita

 

Faixa Etária M/4

Duração – 50min

Ingresso – 3,00€

 

Exposições

 

13 de dezembro| sábado | 17h00

Inauguração da Exposição de Paulo Heleno – Instalação

Auditório Municipal Augusto Cabrita | Piso 1 | Galeria Amarela

Patente até dia 1 de fevereiro

ENTRADA LIVRE

 

Paulo Heleno nasceu em Lisboa em julho de 1967. Vive no Barreiro.

Estudou na Escola Artística António Arroio em Lisboa.

Realizou a sua primeira Exposição Individual em 1989, na cidade de Worms, na Alemanha.

Realizou diversas Exposições Individuais e Coletivas de Pintura e Instalação, onde se destacam:

Casa do Alentejo – Lisboa, 2014; Fábrica Braço de Prata – Lisboa, 2013; Convento da Madre Deus da Verderena, 2012; Galeria Municipal de Mafra, 2009; Galeria Municipal de Sesimbra, 2006; ContraLuz – Barreiro, 2003, 2004, 2005, 2006; Estufa-Fria – Lisboa, 2002; Galeria Barata – Lisboa, 2001; Galeria da Livraria do Bocage – Barreiro, 1990, 1991;

Recebeu Prémios com os trabalhos:

(1º Prémio) – QUANDO AS ÁRVORES CHORAM, Concurso de Pintura “EcoArtes/2000” – Câmara Municipal do Barreiro.

(2º Prémio) – MAR DE LIXO E MENTIRAS, Concurso de Pintura “MoldArte” – BARRIND/88.

 

13 de dezembro | sábado | 17h00

Inauguração da Exposição de Fotografia de CollectiveImages – Lugares Vagos

Auditório Municipal Augusto Cabrita | Piso 1 | Galeria Branca

Patente até dia 1 de fevereiro

ENTRADA LIVRE

 

«Lugares Vagos» é um projeto desenvolvido pelo coletivo de fotografia CollectiveImages.

Mais do que registar e documentar a história de alguns focos industriais, propõe-se criar imagens de autor que despertem a atenção para paisagens que, por nos serem tão familiares, nos passam muitas vezes despercebidas. Imagens de locais que outrora fervilhavam de atividade, e que agora transparecem a indefinição, a atemporabilidade, a ausência e o silêncio

de Lugares Vagos.

CollectiveImages é constituído por cinco fotógrafos que se reuniram enquanto coletivo de fotografia com o objetivo de desenvolver projetos fotográficos de carácter autoral e documental numa ótica contemporânea.

Constituído por Ana Rainho, Marta Araújo Amorim, António Lopes, Fernando da Mota e Pedro Araújo Amorim, o coletivo nasceu em 2012 no seio da Associação Portuguesa de Arte Fotográfica (APAF).

Partilhe esta notícia