No dia 16 de Fevereiro, o presidente da Câmara Municipal do Montijo, Nuno Canta, e a deputada Catarina Marcelino visitaram as instalações do Hospital do Montijo, que integra o Centro Hospitalar Barreiro-Montijo. O autarca e a deputada foram acompanhados pela vereadora do pelouro de saúde a ação social, Maria Clara Silva, e pelo presidente da Junta da União das Freguesias Montijo e Afonsoeiro, José Caria.

A visita solicitada por Catarina Marcelino, na sequência de uma pergunta dos Deputados Socialistas eleitos por Setúbal sobre “serviços de saúde no Concelho de Montijo”, teve como objetivo verificar in loco a situação da Urgência Básica que funciona naquele Hospital, confrontada, aliás, com graves dificuldades ao nível dos recursos humanos, e visitar a unidade de cirurgia do ambulatório e a enfermaria de retaguarda existente naquele Hospital.

Os autarcas e a deputada enalteceram o papel do serviço da Unidade Cirurgia Ambulatório (UCA), tendo o presidente da Câmara ficado de avaliar a possibilidade de realizar uma intervenção no parque de estacionamento do Hospital, fundamental para o acesso dos doentes utilizadores deste serviço ambulatório.

Contudo, não perderam a oportunidade de expor as suas preocupações sobre o serviço de urgência básica que se manteve operacional a quando da reforma das urgências levada a cabo em 2007, através de um protocolo assinado entre o Ministério da Saúde e a Câmara Municipal de Montijo, que assegurava uma resposta básica permanente 24 horas, mas que tinha toda uma equipa médica de retaguarda, atualmente inexistente neste Hospital.

Questionaram ainda o presidente do Conselho de Administração do Centro Hospitalar relativamente à possibilidade de disponibilizar o espaço físico desocupado existente no Hospital para que o Centro de Saúde de Montijo possa alargar as suas instalações e, assim, receber mais médicos de família de modo a responder às necessidades da população. Perante esta situação, a resposta do presidente do Conselho de Administração do Hospital foi de abertura, mas salientou as dificuldades inerentes ao facto das instalações se encontrarem em terreno da Misericórdia de Montijo.