Um estudo da Ordem dos Enfermeiros (OE) revela que faltam 99 enfermeiros nas Unidades de Saúde Pública (USP) da região sul do país, para garantir o funcionamento com segurança dos cuidados prestados.

O estudo teve como objetivo “caraterizar as Unidades de Saúde Pública (USP) nos distritos da área de abrangência da Secção Regional Sul da Ordem dos Enfermeiros, ou seja, Santarém, Lisboa, Évora, Portalegre, Setúbal, Beja e Faro.

A caracterização, realizada através de um questionário feito entre 04 novembro 2014 a 09 fevereiro 2015, teve por base um estudo Exploratório, Descritivo e Transversal.

“Responderam 21 USP, o que representa 100% destas unidades dos 7 distritos da SRSul. No que toca à população abrangida, horas de enfermagem e rácio enfermeiro/utente e considerando que o rácio de enfermeiros para as USP deve ser de 1 enfeiro por cada 30 mil habitantes, verifica-se que em todos os distritos o número é largamente inferior ao preconizado, ganhando maior expressão nos distritos de Setúbal, Portalegre e Lisboa”, revelam em comunicado.

Dados do estudo revelam que, em relação às Instalações e Recursos Materiais, 76% consideram ter instalações adequadas e 62% dispõem de recursos adequados.

Ao nível da Formação e Melhoria Continua apesar de 45% dos enfermeiros terem formação no âmbito do Programa de qualidade dos cuidados de enfermagem, apenas 11% conseguem desenvolver projetos de Melhoria Continua.

No que se refere à articulação com outras unidades funcionais dos centros de saúde, 81% das USP interagem com maior incidência ao nível das UCC (Unidades de Cuidados na Comunidade).

Partilhe esta notícia