O Grupo Parlamentar do PCP tem vindo a acompanhar a situação e a luta dos utentes, e também dos trabalhadores ferroviários, em defesa do serviço público de transportes na Linha do Sado, e tomou conhecimento da recente tomada de posição da Comissão de Utentes/Movimento por Melhores Comboios na Linha do Sado.

Assinala a Comissão de Utentes que o material circulante que a CP colocou na Linha do Sado para formação dos maquinistas, com o fim de substituir o material existente, não só não irá contribuir para o cumprimento dos horários, como agravará a situação.

Os utentes referem que, com comboios com apenas três carruagens, menos portas, menos espaço sentado e sem rampa rápida de acesso, tudo indica que os atrasos e supressão de comboios serão, no entender da CULS, uma inevitabilidade, com os prejuízos agravados que uma tal situação traria aos utentes e ao desenvolvimento económico da região.

A Comissão de Utentes da Linha do Sado recorda assim o que já havia suscitado junto da CP, logo no início da eletrificação da linha: que o material circulante serve e estará em condições de cumprir as responsabilidades dos utentes desde que a CP assuma a sua manutenção e modernização. A atitude por parte da CP e do Governo, de ao longo do tempo não atender a esta necessidade, tem custado caro aos utentes que cumprem os seus deveres de utilizadores do transporte.

Nesse sentido a Comissão de Utentes veio lembrar que existe um caderno de reclamações colocado à CP e ao Ministro da tutela, relativamente aos horários, ao funcionamento dos elevadores, às máquinas para aquisição de bilhete, à vigilância, à segurança dos passageiros e da limpeza nas estações e apeadeiros, matérias de serviço público e em que se exige que seja devida e plenamente cumprido.

Os deputados do PCP. Bruno Dias, Francisco Lopes e Paula Santos, querem saber que resposta tem o Governo face a estas preocupações da Comissão de Utentes da Linha do Sado, relativamente ao material circulante utilizado no transporte ferroviário e, que medidas serão desenvolvidas pela defesa e melhoria do serviço público de transporte ferroviário, não com estratégias de entrega aos grupos económicos privados, mas com a gestão pública e o financiamento adequado na promoção da qualidade do serviço.

 

O Gabinete de imprensa da DORS do PCP

Partilhe esta notícia