O Grupo Parlamentar “Os Verdes” pediu hoje esclarecimentos ao Governo sobre a reorganização dos Serviços de Segurança Social, que implicará “o encerramento do Serviço Local de Ação Social da Baixa da Banheira”.

Em comunicado, “Os Verdes” explicam que o Serviço Local de Ação Social da Baixa da Banheira do Centro Distrital de Setúbal da Segurança Social está instalado num edifício da Segurança Social que “foi submetido, em 2005, a obras de adaptação aos objetivos em causa, preparado para prestar um serviço bastante necessário à população, culminando na sua inauguração e abertura ao público em 2012”, reiterando que o serviço em causa “regista uma elevada afluência da população aos serviços habitualmente prestados pela segurança social, apresentando também índices elevados de satisfação pela população devido à sua proximidade, comodidade e rapidez”.

“O encerramento deste Serviço Local de Ação Social da Baixa da Banheira representaria, pois, um claro prejuízo para os banheirenses e, simultaneamente, sobrecarregaria o Serviço Local de Ação Social do Barreiro que já está sobrelotado e que não consegue dar uma resposta adequada à população que atualmente já serve”, destacam.

Numa pergunta endereçada ao Ministério da Solidariedade, Emprego e Segurança Social, a deputada Heloísa Apolónia, quer saber “a razão que levou o atual Governo a proceder à abertura do Serviço Local de Ação Social da Baixa da Banheira em 2012; onde está o prometido balcão multisserviços (BMS) gerido pela Agência para a Modernização Administrativa (AMA), com cerca de 70 serviços e 10 entidades distintas, nestas instalações da Baixa da Banheira; se o Governo confirma a decisão de proceder ao encerramento do Serviço Local de Ação Social da Baixa da Banheira, após quase 3 anos de funcionamento; se sim, quais as razões invocadas para o encerramento do Serviço Local de Ação Social da Baixa da Banheira; qual a verba que foi gasta para a realização das obras de adaptação e modernização das instalações, que culminaram com a abertura dos serviços em 2012 e, ainda, qual o benefício que o Governo considera que resultou da abertura desses serviços para a população da Baixa da Banheira.

Partilhe esta notícia