Aprovada Candidatura de Palmela

A Candidatura “PRIA – Percursos em Rede para a Inclusão Ativa” – apresentada pela Câmara Municipal de Palmela ao Programa Operacional da Região de Lisboa (Lisboa2020), no quadro do Pacto de Desenvolvimento e Coesão Territorial da Área Metropolitana de Lisboa (PDCT-AML)  – foi aprovada.

Com um investimento global elegível de 384.011,88 euros, cofinanciado em 50% pelo Fundo Social Europeu, esta candidatura enquadra-se na Prioridade de Investimento (PI) 9.4. – “Melhoria do acesso a serviços sustentáveis, de grande qualidade e a preços comportáveis, incluindo cuidados de saúde e serviços sociais de interesse geral”.

           Constituída por um conjunto de ações direcionadas às pessoas com mais de 55 anos, o PRIA preconiza o desenvolvimento de iniciativas promotoras de um envelhecimento ativo, práticas facilitadoras do exercício pleno da cidadania e prevenção na saúde, numa perspetiva  intergeracional e de inclusão social e de combate ao isolamento, com o envolvimento das famílias, de jovens, e de atores sociais do território.

Este projeto representa a possibilidade de o Município construir uma oferta inovadora para as pessoas com mais idade e qualificar as respostas já existentes, nomeadamente, com a criação, entre outras valências, de um observatório para as questões relacionadas com a população de Idade Maior; uma bolsa de voluntariado para o acompanhamento de proximidade; uma pista de checkup (medicalizada) para a prática de atividade física controlada e monitorizada e uma viatura de apoio médico social deslocalizado.

O PRIA resulta de uma estratégia intermunicipal, através da qual os três municípios do Território Arrábida (Palmela, Sesimbra e Setúbal) desenharam, em conjunto, um projeto para a integração social e apoio às pessoas com mais idade, através de uma intervenção diferenciada mas de forma articulada e potenciadora dos recursos disponíveis no território comum.

Recorde-se que, desta estratégia  intermunicipal de captação de fundos comunitários resultaram, também,  outros projetos como o PRARRÁBIDA (turismo, património natural e cultural da serra da Arrábida), o CICLOP7 (mobilidade suave na Península de Setúbal) e HUB10 (interface, em torno da centralidade da EN10).

Partilhe esta notícia