A Federação Distrital de Setúbal do Partido Socialista atenta aos problemas crescentes na área da Saúde dos cidadãos e cidadãs do Litoral Alentejano e da Península de Setúbal, tomou conhecimento com preocupação mas sem surpresa, de mais uma notícia publicada sobre a situação do Hospital Garcia de Orta, matéria já anteriormente denunciada por nós. Há problemas graves e comuns a todos os Hospitais e Centros de Saúde do Distrito. A Federação Distrital, trabalhando em conjunto com o Grupo Nacional da Saúde do PS, liderado por Álvaro Beleza e com os autarcas e dirigentes locais do PS, tem visitado todas estas unidades de saúde e denunciado, os problemas existentes.

Tornou-se absolutamente evidente a inexistência de uma gestão de recursos humanos, refém do Ministério das Finanças que tem de aprovar todas as contratações com uma demora de decisão inaceitável. Faltam entre 50-80 médicos no Hospital Garcia de Orta e 87 médicos na Unidade Local de Saúde do Litoral Alentejano. Os Centros Hospitalares de Setúbal e Barreiro-Montijo também se debatem com problemas a este nível. As aposentações não são substituídas atempadamente por novos profissionais de todas as áreas, com um défice crescente, que se agudiza à medida que os profissionais de saúde e serviços de apoio estão a atingir um estado de exaustão e desmotivação, sem paralelo, desde que existe o SNS.

E precisamente no Verão, com o aumento exponencial da população flutuante da Península de Setúbal e no Litoral Alentejano, em que seria necessário reforço dos cuidados médicos, verificamos que nada foi acautelado. Esta é também uma forma de cortar o acesso dos utentes aos cuidados de saúde necessários, empurrando-os para fora do sistema e obrigando-os a recorrer a serviços privados ou a viver em desespero e ansiedade com agravamento desnecessário e perigoso das suas doenças.

Há critérios importantes em termos da extensão do território e disponibilidade de transportes, a que o Ministério da Saúde não tem prestado qualquer atenção, preocupada apenas com os seus critérios financeiros directos. Estamos também atentos à potencial implementação da Portaria 82/2014 de 10 de Abril, na nossa região, acerca da reestruturação da cobertura hospitalar e que possibilita o encerramento de serviços, de um modo que consideramos inadmissível.

Já não temos ilusões, que o discurso do PSD/CDS acerca do SNS e da sua preservação, é só isso mesmo, um discurso. A realidade é outra, muito dolorosa e preocupante. A denúncia agora feita pelos mais de 40 médicos do Hospital Garcia de Orta é um sinal claro que o discurso quase eufórico do PSD no Distrito não coincide, de todo, com a realidade. Mais ainda, a um ano das eleições legislativas, as estruturas locais e Deputados do PSD, encenam reivindicações ao Governo, a propósito das deficiências na Saúde ao nível do Distrito, que já não conseguem ignorar. O SNS vai-se deteriorando, em recursos humanos e materiais.

O PS reitera o reconhecimento a todos os profissionais de saúde e a todos os trabalhadores das unidades de saúde existentes no Distrito, os quais são exemplo de entrega ao serviço público e à defesa do Estado Social e do acesso à Saúde para todos.

 

O Secretariado da Federação Distrital de Setúbal

Partilhe esta notícia