Após oito anos decorridos à data da rubrica do contrato de Parceria Público Privada (PPP), pelo então XVII Governo Constitucional (PS), que tinha como infraestruturas rodoviárias integrantes, o Itinerário Complementar IC1, que compõe os troços entre Marateca e Alcácer do Sal (Estrada Nacional EN5) e Alcácer do Sal a Grândola (Estrada Nacional 120), os utentes, as populações destes dois concelhos, bem como, das restantes do Litoral Alentejano, tomaram conhecimento que a entidade pública Infraestruturas de Portugal (IP) pretende avançar com obras urgentes no troço do IC1, entre Alcácer e Grândola, no corrente mês de Abril.

Esta intenção é assegurada pelo convite formalizado à Comissão de Utentes do IC1 de Alcácer do Sal e Grândola para estar presente na cerimónia de inauguração da apresentação do Projeto de Beneficiação do IC1 entre Alcácer do Sal – Grândola, no próximo dia 18 de Abril.

A Comissão de Utentes do IC1 de Alcácer do Sal e Grândola considera, porém, que este anúncio/apresentação não seja somente “fogo de vista”, como se diz na gíria popular, pois ao fim de oito anos, foram muitos os anúncios de datas de inicio de obras pelos diversos governos. Durante anos, sempre foi argumentado que o processo de renegociação do contrato da subconcessão do Baixo Alentejo, teria de obter o visto prévio do Tribunal de Contas.

A ser assim de facto, hoje, finalmente, verificamos o assumir da responsabilidade das obras pela entidade do estado, a Infraestruturas de Portugal – IP, responsabilidade que a Comissão de Utentes do IC1, sempre defendeu, nomeadamente, exigindo que a jurisdição desta estrada regressasse de novo para a tutela do estado como solução na resolução desta problemática para bem dos Utentes e populações dos dois concelhos.

Relembramos que sempre consideramos que o prossuposto desta Parceria Público-Privada (PPP), no que concerne á integração do IC1 neste contrato, foi um modelo de negócio desastroso e com custos elevados para o erário público, com maior incidência, para os munícipes destes dois Concelhos.

Face ao referido anúncio de obras, a Comissão de Utentes do IC1 de Alcácer do Sal e Grândola, manifesta, também, que foi através da longa luta incansável dos utentes e população durante todos estes anos que fez com que os políticos cedessem e determinassem o início das tão necessárias obras no IC1.

Foi através desse pilar central, a luta dos utentes e da população, cansados de inúmeras promessas de datas de início de obras, fatigados de assistirem a demasiados acidentes, muitos da forma mais trágica para inúmeras famílias, que sempre reivindicaram obras no IC1, ao longo de vários anos, com diversas formas de protesto, desde abaixo-assinados, a marchas lentas, a manifestações, ações na Assembleia da Republica, junto dos sucessivos Governos, junto das Autarquias, da Concessionária, da entidade responsável pela manutenção das infraestruturas rodoviárias, entre outras, que se confirma agora que toda essa luta deu frutos e que com a sua persistência, acabaram por conseguir as

anunciadas obras no troço do IC1.

Porém a Comissão de Utentes do IC1 de Alcácer do Sal e Grândola embora aplauda o anunciado arranque de obras, alerta que as mesmas, não passam nesta fase de meras intervenções pontuais do pavimento, intervenções a que vulgarmente apelidamos de “remendos”.

Conscientes, também, que perante o aproximar de um período se eleições autárquicas, possa acentuar manobras propagandistas e eleitoralistas, neste caso, o anunciar as referidas obras no IC1.

Conscientes, ainda, de que o anúncio de intervenções de fundo no IC1, resultantes de futuro concurso a lançar, possa eventualmente, coincidir com outro sufrágio eleitoral, nomeadamente, as próximas eleições legislativas.

A todas estas eventuais intenções ou manobras politicas, a Comissão de Utentes do IC1 de Alcácer do Sal e Grândola, comunica que irá continuar a repudiar tais atitudes e que irá prosseguir com a sua luta!

Os Utentes e populações dos dois concelhos mais atingidos, têm o direito de circular nesta infraestrutura rodoviária em condições de segurança. Cabe ao Estado assegurar os interesses dessas populações residentes, que têm visto

nestes últimos longos anos, a sua condição de vida afetada no âmbito económico e social, e, sobretudo, na sua segurança e integridade física.

Por tudo o que foi exposto, a Comissão de Utentes do IC1 de Alcácer do Sal e Grândola exige ao Estado, transparência, responsabilidade e respeito pelas populações e pelos utentes/utilizadores desta infraestrutura rodoviária e que seja de facto dada uma resolução definitiva a este processo do Itinerário Complementar IC1.

HÁ ANOS QUE ESTE DRAMA EXISTE…PORQUE NÃO QUEREMOS MAIS MORTES NESTA ESTRADA…EXIGIMOS REPARAÇÃO DO IC1 (N5/N120).

A Comissão de Utentes do IC1 Alcácer do Sal e Grândola Abril/2017

Partilhe esta notícia