Abertura do ano académico e 40.º aniversário celebrados no Fórum Luísa Todi

O Instituto Politécnico de Setúbal (IPS) continua firme na sua missão de ser “um motor de desenvolvimento regional” e desafia os atuais e futuros parceiros no território para o trabalho conjunto de “construção de uma região mais competitiva, mais coesa e mais inclusiva”.

Foi esta uma das mensagens deixadas ontem pelo presidente do IPS, Pedro Dominguinhos, diante de um Fórum Municipal Luísa Todi que se encheu para assinalar a abertura de um novo ano académico e celebrar a passagem dos 40 anos da instituição de ensino superior.

Em ambiente de festa, partilhado entre toda a comunidade académica e parceiros institucionais, o responsável manifestou o seu “orgulho pelo caminho trilhado”, cujo resultado se espelha nos “muitos milhares de jovens e menos jovens que concretizaram o sonho de serem mais qualificados, podendo aspirar a uma vida melhor, com mais oportunidades”. E lembrou que “atrair mais estudantes” para o ensino superior, independentemente do seu ponto de partida, é um dos grandes desafios que o IPS tem em mãos, em nome de um “país que se quer desenvolvido e do século XXI”.   

“Recebemos este ano cerca de 2 400 novos estudantes, o valor mais elevado desta década”, sublinhou, destacando em particular o aumento dos titulares de Cursos Técnicos Superiores Profissionais (CTeSP) que ingressaram em licenciaturas, para defender que não são aceitáveis “políticas completamente ultrapassadas que pretendem confinar determinado tipo de pessoas a determinado tipo de qualificações”.

Na abertura da sessão solene comemorativa, o IPS recebeu da parte da Câmara Municipal de Setúbal, na pessoa do seu vice-presidente, Manuel Pisco Lopes, felicitações “muito especiais”, não só pelos seus 40 anos, que representam a “plena maturidade”, mas sobretudo por aqui ter chegado com “um número recorde de alunos inscritos”, cerca de 7 000, o que demonstra “qualidade, consolidação e crescimento da sua capacidade de atração”. 

O autarca, que momentos mais tarde receberia também a distinção honorífica por Mérito Cultural e Artístico, atribuída ao município de Setúbal, não deixou de apontar o IPS como “um ator exemplar” no desenvolvimento da região, reconhecendo-lhe o mérito de “promover a qualificação e promoção social das populações e criar e atrair riqueza”.

Nomeadamente, sublinhou, através de parcerias internacionais como a que consolidou recentemente com o Governo da província chinesa de Tianjin, e que resultou na instalação de uma Oficina Lu Ban no IPS, um laboratório único em Portugal na área da Indústria 4.0.

Parceiros de Tianjin na grande festa dos 40 anos 

Além da entrega de medalha e prémios, como reconhecimento público a trabalhadores docentes e não docentes, estudantes, estudantes e diplomados, o dia comemorativo contemplou também a atribuição de mais duas distinções honoríficas. Designadamente à Câmara Municipal do Barreiro, reconhecida como Instituição Benemérita pela cedência do terreno para a instalação do campus onde se localiza a Escola Superior de Tecnologia do Barreiro do IPS, e à Escola Vocacional de Mecânica e Eletricidade (TVMEC) de Tianjin, por Mérito Científico e Tecnológico.

Na ocasião, Gao Baocan, em representação da comitiva de Tianjin, que presenteou o IPS com uma peça evocativa da efeméride, exaltou a Oficina Lu Ban como “símbolo da longa amizade entre Portugal e a China”, cujas relações diplomáticas se estabeleceram, precisamente, há 40 anos, e igualmente como “plataforma de comunicação para o ensino vocacional português e chinês, que se possa traduzir na cooperação entre escolas e empresas de ambos os países”. 

Já no final da tarde de celebração, os 40 anos do IPS foram ainda lembrados através de dois registos diferentes. Primeiro, o livro “Instituto Politécnico de Setúbal – 40 anos com a região“, apresentado pelo docente Albérico Afonso, um dos coordenadores da publicação, como um trabalho de “memória, de construção da nossa identidade enquanto instituição de ensino superior” e um “testemunho sobre o qual se podem construir novos caminhos”. E, para encerrar a festa no palco do Luísa Todi, o hino “Foi por ti”, original composto por Carlos Barreto Xavier (música) e João Mendonza (letra), do projeto de pop-lírico Passione, para assinalar a celebração.  

Prémio Carreira alumniIPS entregue a diplomado de Logística 

Este ano, o Prémio Carreira alumniIPS, que visa distinguir os diplomados mais bem-sucedidos no seu percurso profissional, foi entregue a Flávio Guerreiro, natural da região de Setúbal que se formou em Gestão da Distribuição e Logística pela Escola Superior de Ciências Empresariais (ESCE/IPS), o primeiro curso de licenciatura a surgir em Portugal nesta área do saber. Com 15 anos de carreira profissional, o agora country manager da LPR – La Palette Rouge Ibérica, empresa multinacional de logística, subiu ao palco para enumerar os valores que recebeu e guardou ao longo dos quatro anos de formação no IPS. “Mudei como pessoa, saí mais capaz. Para tal, muito contribuiu o corpo docente e a aprendizagem de valores como dedicação, empenho, sacrifício e o foco nas relações interpessoais. Nas organizações, as pessoas são o fator principal”, destacou Flávio Guerreiro. 

Partilhe esta notícia