Na linha do seu programa autárquico, o PSD Barreiro entende que o Município do Barreiro, sem prejuízo do cumprimento das correspondentes obrigações financeiras, deve desagravar fiscalmente os residentes e as famílias do concelho. Designadamente, como modo de procurar atrair mais pessoas e atividade para um concelho outrora jovem e pujante.

Estas propostas foram já apresentadas pelo PSD Barreiro em 2013 e 2014, tendo, lamentavelmente, sido rejeitadas pela maioria PCP/CDU. Isto apesar de os números e a evolução das receitas de IMI no concelho permitirem claramente a redução. E de muitos outros concelhos do país terem encetado programas de redução progressiva da carga fiscal municipal (sendo que, hoje, entre os demais 307 municípios, 215 aplicam taxas de IMI inferiores às do Barreiro).

Em 2015, o PSD Barreiro, para além de, uma vez mais, estar disponível para estudar também a eventual devolução aos contribuintes barreirenses de uma parte da sua coleta de IRS (hipótese igualmente rejeitada em 2014 pela maioria PCP/CDU), irá novamente propor a redução da taxa regra do IMI dos prédios urbanos.

Proporá, ainda, consideradas as possibilidades abertas pela Lei do Orçamento de Estado para 2015, a redução adicional e automática da taxa do IMI aplicável a todas as famílias barreirenses com filhos e/ou outros dependentes a seu cargo nos casos dos imóveis destinados à habitação

própria e permanente do proprietário e respetivo agregado familiar.

Assinale-se que esta referida redução adicional poderá ir até 10% da taxa para agregados com 1 dependente a cargo, até 15% da taxa para agregados com 2 dependentes a cargo e até 20% da taxa para agregados com 3 ou mais dependentes a cargo.

Partilhe esta notícia