O presidente da Distrital de Setúbal do PSD, Bruno Vitorino, diz que as declarações de quarta-feira do primeiro-ministro, António Costa, vieram “desautorizar por completo” o presidente da Câmara Municipal do Montijo, Nuno Canta, quanto à decisão da localização do aeroporto complementar já ter sido tomada.

Durante o debate quinzenal, António Costa revelou que só no final do ano é que será tomada uma decisão sobre o aeroporto complementar.

Na sequência destas declarações, Bruno Vitorino considera que o primeiro-ministro “tirou o tapete” a Nuno Canta que já se preparava para fazer “uma ação de propaganda eleitoralista, com a assinatura de um memorando de entendimento sobre o novo aeroporto”.

“O presidente da Câmara e o ministro das Infraestruturas marcaram a assinatura de um memorando de entendimento para o próximo dia 15 de Fevereiro. Agora, o primeiro-ministro desautoriza Nuno Canta, dizendo que ainda não está nada decidido. A juntar a tudo isto, recorde-se que o ministro da Defesa já tinha afirmado que os estudos relativos à Força Aérea ainda não estavam concluídos”, refere.

Perante estes factos, o dirigente social-democrata pede “mais contenção e mais seriedade” ao presidente da Câmara Municipal do Montijo, relembrando que foi Nuno Canta que se recusou a assinar o memorando de entendimento no tempo do anterior Governo, ajudando a atrasar todo o processo, mas que agora demonstra “muita ansiedade eleitoralista ao querer ser o porta-voz de decisões que ainda não estão tomadas”.

 

Fonte: PSD

 

Partilhe esta notícia