Manuel Galrinho Bento, histórico guarda-redes do Barreirense, do Benfica e da Seleção Nacional, foi considerado o melhor guarda-redes português de sempre pela equipa de correspondentes da UEFA, que decidiram nomear os melhores guarda-redes de cada uma das federações que integram o organismo.

“O falecido Manuel Bento era um guarda-redes atípico. Com apenas 1,73 metros de altura, o nº1 nascido na Golegã compensava isso com reflexos soberbos, muita frieza e atitude destemida. Apelidado de “Homem de Borracha” pela sua agilidade, representou Portugal por 63 vezes. Manteve-se ao serviço do Benfica até bem para lá dos 40 anos e pendurou oficialmente as luvas em 1992, após ganhar dez campeonatos pelas “águias”. Entre as muitas exibições memoráveis pelo clube e por Portugal, uma ficou na memória, frente à França, a negar golos a Michel Platini e companhia nas meias-finais do Campeonato da Europa da UEFA de 1984, apesar da derrota por 3-2 no prolongamento”, pode ler-se no site oficial da UEFA.

Álvaro Magalhães, antigo colega de equipa de Bento, ao site da UEFA afirmou: “Era uma pessoa humilde e trabalhadora. Não era um jogador espalhafatoso e cheio de estilo; ao invés, era tremendamente eficaz. Por exemplo, se tivesse um dedo partido, descobria outra forma de manter a bola afastada da baliza.”

 

Lista completa da UEFA:

Albânia: Perlat Musta

Andorra: Koldo Álvarez de Eulate

Arménia: Alyosha Abrahamyan

Áustria: Walter Zeman

Azerbaijão: Kamran Agayev

Bielorrússia: Mikhail Vergeenko

Bélgica: Jean-Marie Pfaff

Bósnia Herzegovina: Enver Maric

Bulgária: Borislav Mihaylov

Croácia: Vladimir Beara

Chipre: Nicos Panayiotou

República Checa: Petr Cech

Dinamarca: Peter Schmeichel

Inglaterra: Gordon Banks

Estónia: Mart Poom

Ilhas Feroé: Jákup Mikkelsen

Finlândia: Antti Niemi

França: Fabien Barthez

Macedónia: Blagoje Vidinic

Geórgia: Otar Gabelia

Alemanha: Sepp Maier

Gibraltar: Tony Macedo

Grécia: Antonis Nikopolidis

Hungria: Gyula Grosics

Islândia: Bjarni Sigurdsson

Israel: Yacov Hodorov

Itália: Dino Zoff

Cazaquistão: Kuralbek Ordabayev

Letónia: Aleksandrs Koliņko

Liechtenstein: Peter Jehle

Lituânia: Vladas Tuckus

Luxemburgo: Jonathan Joubert

Malta: Mario Muscat

Moldávia: Denis Romanenco

Montenegro: Dragoje Lekovic

Holanda: Edwin van der Sar

Irlanda do Norte: Pat Jennings

Noruega: Erik Thorstvedt

Polónia: Jozef Mlynarczyk

Portugal: Manuel Bento

República da Irlanda: Shay Given

Roménia: Ion Voinescu

Rússia: Lev Yashin

São Marino: Claudio Maiani

Escócia: Jim Leighton

Sérvia: Milutin Soskic

Eslováquia: Viliam Schrojf

Eslovénia: Samir Handanovic

Espanha: Ricardo Zamora

Suécia: Karl Svensson

Suíça: Marco Pascolo

Turquia: Rustu Reçber

Ucrânia: Olexandr Shovkovskiy

País de Gales: Neville Southall